10 de abr de 2008

5 x 1 Perfil - Sérgio Freire


Empresa: Vanilla Caffè
Nome: Sérgio Freire
Função: Diretor de Franquia
Unidades: 32 Unidades


[DENIS]: Como você iniciou o trabalho com franquias e redes?
[SÉRGIO]:
Comecei minha carreira profissional em Franchising, em 1998, na Stella Barros Turismo. Vinha do Mercado Financeiro, porém queria conhecer coisas novas e mergulhar em um novo modelo de negócio que eu acreditava muito e via seu crescimento acentuado, principalmente depois da Lei do Franchising. Comecei como Consultor de Campo e me apaixonei, ainda mais, pelo modelo de negócio Franquia.

[DENIS]: Qual (is), em sua opinião são as principais diferenças entre trabalhar com marketing para franquias e redes e em trabalhar com o marketing tradicional ?
[SÉRGIO]:
Existem diferenças bastante acentuadas, principalmente pelo fato de que em uma rede tradicional você toma as decisões sozinho e implementa e já em uma rede de Franquia, o processo é bem mais democrático, uma vez que você precisa colher uma série de informações da sua rede e direcionar ações que possam atender a todos.

[DENIS]: Desde o momento que você começou no mundo de franquias e redes, o que acredita que mudou? (para pior e para melhor)
[SÉRGIO]:
Acredito que o sistema inteiro se modificou e especialmente se profissionalizou, desde as redes que hoje em dia, na sua grande maioria são geridas por profissionais e não mais por comerciantes que deram certo, pois trata-se de uma necessidade também, uma vez que os franqueados de hoje, felizmente, também são mais profissionais e instruídos sobre o tema. E vejo isso, também, como uma tendência ainda maior para o futuro, ou seja, cada vez mais este mercado será condicionado à profissionalização.

[DENIS]: Qual a pergunta que hoje vc não sabe a resposta e te incomada não saber ?
[SÉRGIO]:
“Tostines vende mais por que é fresquinho ou é fresquinho por que vende mais?”

[DENIS]: Qual o maior desafio que você já teve na carreira e como solucionou?
[SÉRGIO]:
Deixar de ser um executivo, com uma vida profissional estabilizada e partir para uma empreitada em vôo solo, e investir na abertura minha própria rede de Franquia. Coisa que não me arrependo nem um segundo. Para isso precisei de uma dose de coragem e alguns bons empurrões.

[DENIS]: Como você vê a questão das fusões e aquisições que estão ocorrendo entre franqueadores.
[SÉRGIO]:
Acredito que este deva ser o caminho natural das coisas, que aliás, já vem acontecendo com muitas redes. Assim como em outros mercados, no nosso, não será diferente, apenas está começando, vejo de maneira bastante positiva e no futuro deve ser a consolidação deste nosso mercado, desde que bem executada, dentro dos princípios éticos e livre concorrência.

7 de abr de 2008

Droga Raia apresenta revista exclusiva

A Editora MOL e o Graacc lançaram na semana passada a revista Sorria, que será vendida exclusivamente nas lojas da Droga Raia. O evento de lançamento aconteceu no Bourbon Street, em Moema, e contou com a apresentação da modelo Daniela Cicarelli e show da banda Funk Como Le Gusta.

A revista Sorria é resultado de um projeto inovador, que tem como objetivo multiplicar os recursos investidos no Graacc pelos seus apoiadores e patrocinadores.

A publicação é bimestral e pode ser adquirida nas mais de 200 lojas da Droga Raia por R$2,50. Esse valor, descontados os impostos, será totalmente destinado à instituição.

Em um ano, a Droga Raia pretende vender mais de 400 mil exemplares, gerando mais de R$ 1 milhão para o Graacc, que serão destinados ao aumento da capacidade de atendimento gratuito a crianças e jovens pacientes.

A publicação está pautada em valores humanos e seu conteúdo apresenta relações verdadeiras, prazeres do cotidiano, otimismo, leveza e solidariedade.