24 de set de 2008

Dona da rede Viena agora vai controlar também 12 restaurantes Frango Assado

Minha familia é da terra vermelha de Ribeirão Preto e uma das coisas que eu me lembro com muito carinho do meu Avô eram as paradas na viagem no Frango Assado para comprar os deliciosos espetinho de frango, saudades desta época.


Algo que se tornou comum ultimamente é a venda de redes para grupos de investimento, e com o Frango Assado não foi diferente.

A International Meal Company (IMC), holding criada pelo fundo de private equity Advent para gerenciar seus negócios na área de alimentação, fechou a compra da rede Frango Assado, dona de 12 restaurantes localizados em estradas do Estado de São Paulo. Os valores da operação não foram divulgados. A Frango Assado é a terceira rede a ser adquirida pela IMC no Brasil. Em abril de 2007, a IMC comprou a RA, dona das marcas Brunella e Black Coffee e líder nos aeroportos de Guarulhos e Congonhas, em São Paulo. No final do ano passado, foi a vez da cadeia de restaurantes e cafés Viena, forte em São Paulo e com presença no Rio de Janeiro.

19 de set de 2008

Franchising e as Ações

A seguir, texto do meu artigo publicado na Gazeta Mercantil hoje:

O Franchising Cresce de Maneira Sustentada.
Denis Santini
Fato: o brasileiro comum descobriu a Bolsa de Valores. Conceitos como câmbio, IPO, ação ordinária e dividendos, antes restritos a “experts”, ganharam as ruas, incorporando-se à vida de qualquer cidadão. Acompanhando esse interesse pelo assunto, pude constatar similaridades entre o mercado de ações e o de franquias, no qual atuo desde 1993, como especialista em comunicação e marketing de redes. Isso me estimulou a escrever este artigo, para expor as oportunidades oferecidas pelo Franchising aos investidores.
Analisemos o comportamento do investidor em cada caso. A opção pela compra de ações de uma empresa pressupõe confiança em seu crescimento e é feita após uma análise criteriosa, que envolve fatores como crescimento do mercado, qualidade e aceitação do produto, imagem da marca e fluxo de caixa. O investimento é motivado pela expectativa de valorização dos papéis e o lucro da operação. Do ponto de vista da empresa, a opção pela abertura de capital leva em consideração a possibilidade de financiar o crescimento do negócio com os recursos levantados, investindo em máquinas, equipamentos, treinamento e na sua ocupação de mercado, por exemplo.
Processo semelhante é observado no mercado de franquias. O candidato a franqueado vislumbra a possibilidade de ganho trazida pela reprodução de um modelo de negócios comprovadamente bem-sucedido, que também envolve fatores como mercado, produto, imagem e fluxo de caixa. Ao se decidir por uma franquia, o investidor confia no potencial de crescimento da marca. Para o franqueador, o Franchising é uma estratégia segura e eficaz de expansão das operações, de maneira análoga à abertura de capital. Captação de recursos, comprometimento do "franqueado-acionista" e mecanismos de controle sobre a marca, produtos ou serviços são alguns dos principais atrativos, além de financiar a sua expansão.
As semelhanças não páram por aí. Há paralelos entre o perfil do investidor em ações e o de franquias. Em geral, é um profissional com bom nível de escolaridade e ampla experiência em sua área. É alguém com bom padrão de vida, ativo e disposto a correr riscos para aumentar sua renda e patrimônio. São pessoas que lançam mão dos recursos de seu Fundo de Garantia para investir na Bolsa de Valores ou em um novo negócio, mesmo como atividade paralela (tocada pela esposa ou parentes).
Para esse perfil de investidor, o mercado de franquias é uma oportunidade atraente, em contraponto – ou complementando – as aplicações no mercado de capitais. O Franchising cresce de maneira sustentada no Brasil, que ocupa a terceira posição no ranking de países com maior número de franqueadores, atrás dos EUA e do Japão. Em 2007, o faturamento do setor foi de cerca de R$ 46 bilhões, um crescimento de 16% em relação a 2006. Hoje, o mercado é formado por mais de mil empresas franqueadoras – 90% nacionais – que somam 63 mil pontos de venda e oferecem mais de um milhão de empregos diretos.
O que esses exemplos ilustram é que, no mercado de ações ou no de franquias, as empresas optam por abrir a agentes econômicos externos seu capital, marca ou modelo de negócio, para financiar o próprio crescimento, na medida em que constroem uma reputação de confiança e solidez nos setores onde atuam. Com os recursos obtidos, aumentam sua capacidade de investimento e competitividade frente à concorrência, dando início a um ciclo virtuoso.
Mesmo com todas essas semelhanças, há pelo menos um ponto em que o Franchising tem diferença em relação ao mercado de capitais. Se ao acionista cabe investir com responsabilidade e acompanhar à distância os movimentos do mercado, o papel do franqueado é determinante para o sucesso do negócio. Não é por acaso que as redes franqueadoras mais bem-sucedidas são aquelas que aprenderam a compartilhar sua visão e métodos com seus franqueados, estreitando a parceria para colher bons resultados de maneira sustentada. Mas o papel do franqueado para essa modalidade de varejo organizada, eficaz e de alta penetração é tema para outro artigo.

Denis Santini é sócio da Mappa Idéias e Negócios, especializada em comunicação para franquias e redes, além de co-autor (com Filomena Garcia) do livro “Marketing para Franquias” (Premier Máxima, 2006). É ainda franqueado no Brasil da Contours Academia para Mulheres e professor do MBA Gestão de Franquias, da FIA/Provar.

9 de set de 2008

Sexo Ecológico. Pensando até naquilo!!!

Sexo ecológico: o prazer em defesa do ambiente

O Greenpeace não perdoa. A secção mexicana da organização ambientalista criou uma “cartilha’ ecologicamente correta até para os momentos de maior intimidade. Tratam-se dos mandamentos do “sexo ecológico”. Resta saber se os amantes terão paciência para tomar algumas das atitudes sugeridas antes e durante os momentos de prazer.


Caso os hormônios permitam, o Greenpeace mexicano recomenda:




  • Cheque a origem da madeira da cama. Se não for certificada, esqueça.


  • Nada de pedir bebidas e alimentos que não sejam orgânicos.
    Guaraná, cereja e framboesa, por exemplo, são afrodisíacos.


  • No momento do banho, o casal deve dividir o chuveiro e economizar água.


  • Lubrificantes, só a base de água.


  • Ah, sim! Nada de gastar energia sem necessidades.
    Fazer amor no escuro pode ser mais sexy e econômico.


  • E, para fechar, os ambientalistas mexicanos resgatam o slogan dos hippies:
    “faça amor, não faça guerra”.

8 de set de 2008

Sexo Frágil!!

Mulheres superam número de homens empreendedores no Brasil

Invertendo uma tendência histórica em que os homens representavam o maior número de empreendedores, a mulher no Brasil vem ocupando definitivamente seu lugar no mundo dos negócios. Em pesquisa divulgada pelo GEM- Global Entrepreneurship Monitor, estudo que mede as taxas do empreendedorismo mundial, as mulheres brasileiras atingiram a marca histórica do maior número já registrado de empresárias no país, ultrapassando o nível empreendedor dos homens. Hoje, as brasileiras hoje já representam 52% dos empreendedores adultos, ou seja, com idade entre 18 a 64 anos, invertendo dados de pesquisas anteriores. Só para ressaltar a tal virada feminina, dados do GEM destacaram que em 2001, seis anos atrás, os homens empreendedores representavam a grande marca dos 71% contra apenas 29% das mulheres. A pesquisa também revelou que as canarinhas abocanharam o 7º lugar no ranking mundial como as mais empreendedoras, com uma taxa de 12,71%, traduzindo para números, significam aproximadamente oito milhões de mulheres que tocam seu próprio negócio em todo o País. Liderando o ranking das mais empreendedoras estão Peru (26,06%), Tailândia (25,95%) e Colômbia (18,77). Os últimos lugares foram ocupados por Letônia (1,41%), Rússia (1,64%), Áustria (1,84%), Bélgica (1,98%) e França (2,21%). Segundo Maria José Pereira, gestora do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, criado para valorizar as iniciativas femininas frente ao mundo dos negócios e que está com inscrições abertas até dia 15 de setembro no WWW.sebrae.com.br, as mulheres estão buscando cada vez mais seu lugar no empreendedorismo. "As mulheres procuram alternativas de empreendimentos para complementar a renda familiar, ou ainda porque nos últimos anos elas vêm assumindo cada vez mais o sustento do lar como chefe de família, mas não excluindo a forma de empreender por oportunidade, ou seja, pesquisar um mercado e ver que aquilo é rentável e investir nele", comenta a gestora.

Fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/mulheres_superam_numero_de_homens_empreendedores_no_brasil/17039/